La Página de los Cuentos
Tu comunidad de cuentos en Internet
[ Ingresa
|
Regístrate ]

Menu
Home
Noticias
Foro
Mesa Azul
Eventos
Enlaces
Temas
Búsqueda

Cuenteros
Locales
Invitados


Inicio / Cuenteros Locales / hibrida / O GRANDE. (crônica)

 Imprimir  Recomendar
  [C:320114]

A bem pouco eu era um bebê, seguro, que muitos riram comigo ou me fizeram sorrir. Hoje me impacienta a debilidade do riso infantil.

Deixei de ser um bebê e logo passei a ser criança. Penso que devo ter sido criança chorona, visto que não tolero as lágrimas, nem mesmo as de minhas crias. Compraz-me minha sequidão.

Segui crescendo me transformei num jovem vigoroso, correspondente, cada dia de minha juventude vivi em sua plenitude. Fui aventureiro, destemido e ousado, não fui simples acaso da sorte.

Tornei-me homem experiente. Maduro, vejo que, o título “O Grande”, casa-se perfeitamente comigo. Mas que não me cobrem, pois assumi não ser exemplo para nada. Entretanto, a minha competência me permitiu ser: o melhor; o melhor educador, o melhor pai, o melhor amante, o melhor observador, o melhor critico, e, o mais criterioso deles.

Branquearam-se meus cabelos, no entanto, dilatou-se ainda mais a minha razão.

Bebo constantemente na mesma fonte dos grandes filósofos, reflexiono tal qual eles todo o tempo. O que me dá plena convicção de seguir na direção escolhida.

Solitário, excêntrico, egoísta, presumido...

Tudo e muito mais dizem de mim.
Porém, apenas deixo o meu silêncio, de grande pensador, como resposta, não devo perder-me em banais discussões. A final eu sei com segurança quem sou.

Ademais, sentimentos são efemeridades dos vulgos, frescuras dos fracos, tolices de mulher.

E eu,...
Eu sou um vencedor – O Grande.

Texto agregado el 06-11-2007, y leído por 155 visitantes. (0 votos)


Para escribir comentarios debes ingresar a la Comunidad: Login


[ Privacidad | Términos y Condiciones | Reglamento | Contacto | Equipo | Preguntas Frecuentes | Haz tu aporte! |
]